Pelo menos 13 medicamentos para doenças raras – não ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e obtidos por meio de medida judicial – estão com a distribuição atrasada há mais de dois meses, segundo levantamento realizado por associações de pacientes a pedido do Estado. Sem os remédios, pacientes já têm de lidar com a evolução de suas doenças, mas ainda não há prazo para o retorno da distribuição das doses. O Ministério da Saúde informou que está analisando as ações judiciais de solicitação das medicações e está em fase de compra dos remédios.

Publicado em Notícias